Posts Tagged ‘música

01
dez
09

Top 2009

por Raul

OK, agora é minha vez de fazer uma lista com os melhores lançamentos de 2009…

Fever Ray – Fever Ray


Fever Ray na verdade é Karin Dreijer, vocalista do grupo The Knife. O disco segue a mesma linha do The Knife, com momentos soturnos rechados de referências a filmes de terror.

Dinosaur Jr. – Farm

Nada melhor do que o bom e velho Dinousaur Jr. voltando à velha forma, com um de seus melhores discos já lançados. Farm nos faz lembrar daquele Dinosaur Jr. dos três primeiros discos, na década de 80.

Phoenix – Wolfgang Amadeus Phoenix


O quarto disco da banda francesa não deixa nada a desejar em relação aos outros lançamentos, pelo contrário, segue a mesma linha, porém com momentos mais experimentais, o que mostra que a banda fortalece sua identidade musical a cada disco.

Sonic Youth – The Eternal


Kurt Cobain declarou que jamais poderia esperar fazer tanto sucesso e que o máximo que ele queria era que seu som fosse autêntico e parecido ao do Sonic Youth. Em quase trinta anos de banda, eles continuam influentes e autênticos. Provavelmente o melhor disco de 2009.

Wilco – The Album


Simplesmente Wilco, sem novos sons e novas viagens. A banda mantém a mesma formação a cinco anos, coisa rara quando se trata de Jeff Tweedy. Talvez seja por esse fator que o disco soe tão agradável e lírico.

Yeah Yeah Yeahs – It’s Blitz


Um disco que surpreendeu a muita gente, pois as guitarras altamente distorcidas dos últimos dois lançamentos do grupo não estão em evidência aqui. O que encontramos nesse disco são sintetizadores, faixas dançantes e aceleradas. Um bom disco, que mostra a competência do Yeah Yeah Yeahs em experimentar novos sons.

Arctic Monkeys – Humbug


Sim, foi uma surpresa. Além de James Ford, velho companheiro de produção, a banda também resolveu chamar ninguém menos que Josh Homme, do Queens of The Stone Age. O Resultado? A primeira faixa já nos mostra um Arctic Monkeys sombrio como nunca foi possível imaginar.

Kasabian – West Ryder Pauper Lunatic Asylum


A banda que, junto com o Arctic Monkeys, representa melhor o rock inglês lança um dos melhores discos de 2009. Com trabalhos vocais magníficos sobre músicas obscuras e agitadas, esse disco se torna histórico.

04
nov
09

Wu-Tang Clan e o mundo das Artes Marciais

por Raul

O que hip-hop e artes marciais têm em comum? Aparentemente nada, não é mesmo? Pois é aí que você se engana…

Wu-Tang-Clan é um grupo de rap formado em 1993, na cidade de Nova Yorque. Seus fundadores foram Ol’ Dirty Bastard, GZA e RZA.

O nome do grupo é uma referência à cultura oriental e suas artes marciais.

“Wu-Tang” é proveniente da montanha Wu Dang (Wudang Shan) no noroeste da província de Hubei, no centro da China, com uma longa história associada ao taoísmo, artes marciais e medicina.

Outra possível razão para o nome do grupo é um filme originário de Hong Kong: SHAO LIN YU WU DANG, de 1981.

É sobre o primeiro disco do grupo que trataremos a seguir, um disco que revolucionou o modo de pensar e fazer hip-hop.

O primeiro disco do grupo se chama “Enter the Wu-Tang (36 Chambers)”, e foi lançado em novembro de 1993. Nunca o tema “artes marciais” tinha sido tão explorado na música pop, e para entender o conceito do disco, é preciso repassar o básico de história das artes marciais:

091104_the-wu-tang-clan
Existem diferentes tipos de artes marcias no estilo Kung Fu, e o primeiro tipo é um movimento composto, que consiste em uma série de ações segundo os modelos regulares de ataque e de defesa. Os combates e ataques geralmente são programados, e os movimentos todos interligados. Este tipo de arte marcial é a base da prática da arte marcial chinesa.

Além desse tipo, existem artes marciais com armas. As amas podem ser facas, espadas, paus, cacetes, etc, e ao longo dos tempos, as espadas passaram a ser cada vez mais utilizadas. A espada mais difícil de manusear é a Wu-Tang, e um lutador que consegue dominar a técnica da Wu-Tang é considerado invencível.

Cada nível de estágio no aprendizado das artes marciais é chamado de Chamber, e a cada Chamber ultrapassado, o aprendiz fica mais próximo da invencibilidade e da perfeição, além de ter um de seus dentes normais substituído por um dente de ouro.

O Lutador que se torna mestre na espada Wu-Tang, terá passado por 36 Chambers, se tornando assim, invencível. No estágio de “invencível”, os mestres recebem uma aplicação de platina em seus dentes de ouro frontais.

Disso tudo veio o conceito e o nome do primeiro disco do Wu-Tang Clan, revolucionando não só o hip-hop, mas toda uma cultura em torno do movimento.

O nome do grupo virou uma espécie de congregação, que passou a envolver centenas de pessoas, abrangendo marcas de roupas, tênis, games, livros e quadrinhos.

091104_the-wu-tang-clan-dekline-killerbee-04
091104_GTA-San-Andreas-WU-TANG-Clan-New-Era-Cap_1
091104_the-wu-tang-clan-shirt
091104_509408-nine_rings_wu_tang_large
RZA, membro fundador do grupo, é um cara altamente envolvido com cinema. Ele produziu a trilhas sonoras de: Ghost Dog (do diretor Jim Jarmusch), e Kill Bill (do mestre Quentin Tarantino).

Deixo aqui uma cena do filme “Sobre café e cigarros” (do diretor Jim Jarmmusch) em que RZA e GZA dialogam com ninguém mais ninguém menos que Bill Burray.

30
ago
09

O fim do Oasis e o final de uma era

por Raul

Noel Gallagher está oficialmente deixando o Oasis. Nesta sexta-feira (28/08/2009) veio o anuncio via site oficial do grupo: “É com alguma tristeza e grande alívio que digo a vocês que deixo o Oasis hoje à noite. As pessoas vão escrever e dizer o que elas quiserem, mas eu simplesmente não posso continuar trabalhando com Liam nem mais um dia”.

O Oasis foi formado em Manchester, no começo da década de 1990, e se tornou a banda mais importante daquele período após lançar dois grandes discos, Definitely Maybe e (What’s the story) Morning Glory.

O disco de estréia do Oasis vendeu aproximadamente 11 milhões de cópias, em uma época em que a internet ainda não era a principal ferramenta para as bandas independentes.

O segundo disco da banda, vendeu aproximadamente 21 milhões de cópias. Só na Inglaterra foram vendidas 4,8 milhões de cópias é até hoje o terceiro álbum mais vendido da história da Inglaterra, atrás somente do Greatests Hits do Queen e Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band dos Beatles.

A banda teve autos e baixos ao longo de sua história, mudando de formações diversas vezes, mas sempre lançando discos regularmente. A última formação do grupo era considerada a mais sólida e criativa que já tiveram, contando com: Gem Archer (guitarra), Andy Bell (contra-baixo) e Chris Sharrock, além dos irmãos Liam e Noel Gallaghers, evidentemente.

O último disco lançado pelo Oasis (Dig Out Your Soul, de 2008), é considerado o melhor álbum da banda desde (What’s the story) Morning Glory, que fora lançado em 1995.

Ainda não se sabe ao certo qual o futuro da banda, mas a certeza que tenho no momento é que chega o fim de uma era, a qual o Oasis era seu principal porta-voz.

Relembrando um clássico da banda, fica aqui o vídeo de Dont’ Look Back In Anger, ao vivo no estádio de Wembley, com o público cantando o refrão a plenos pulmões…

17
ago
09

As melhores bandas de todos os tempos dos últimos nove anos

por Raul

Com certeza a primeira das grandes bandas dos anos 2000 foi The Strokes. Calças jeans surradas, all-stars sujos e guitarras tocadas em alto volume só eram comuns na época do grunge. Claro que os roqueiros clássicos de plantão não irão concordar muito mas o rock, hoje, deve muito ao primeiro disco do The Strokes (o ótimo “Is This It, de 2001).

Outra banda que chamou a atenção neste novo milênio foi a Black Rebel Motorcycle Club. A imagem e o som da banda geralmente são associados ao The Jesus & Mary Chain (não que isso seja ruim), devido ao som obscuro, visual sombrio e microfonias.  Um dos power-trios mais compententes da história do rock.

The Libertines talvez tenha sido a primeira banda concorrer diretamente com o The Strokes pelo posto de banda do momento. Com seu primeiro disco (“Up The Bracket”, de 2002), aliado ao comportamento altamente Junkie, a banda rodou o mundo como atração principal dos melhores festivais europeus.

Kings Of Leon talvez seja, junto com o Arctic Monkeys, uma das últimas grandes que surgiram no começo da década e ainda continuam tocando como antes, até progredindo, como é o caso do último disco do Kings Of Leon (o clássico absoluto “Only By The Night”, de 2008). Graças a seu disco mais recente, a banda passou a ter shows disputadíssimos nos festivais europeus.

Franz Ferdinand é um exemplo de como lidar com o sucesso excessivo do início de carreira para se transformar em uma grande banda que tem um belo futuro pela frente, além do que o disco de estréia pode proporcionar (me refiro aqui ao “Franz Ferdinand”, de 2004).

A última grande Indie Band. É assim que o Arctic Monkeys é chamado pelos críticos. Talvez  seja mesmo, afinal, o disco de estréia da banda (o excelente “Whatever People I am, That’s What I’m Not, de 2006) superou o disco de estréia do Oasis, sendo assim o disco de estréia com vendagem mais rápida até o momento.

Claro que muitas bandas boas ficaram de fora e que merecem atenção. Logo, pretendo continuar esse post num texto futuro…

04
ago
09

A verdadeira voz do Grunge

por Raul

Nem Layne Staley, nem o mala do Eddie Vedder. Muito menos Kurt Kobain. A voz do Grunge sempre pertenceu (e ainda pertence) ao ex-vocalista do Screaming Trees, Mark Lanegan.

Com um vocal rouco e sombrio, Mark Lanegan começou sua carreira solo em 1990, quando sua banda já tinha três discos gravados e tinha um enorme reconhecimento no underground estadunidense.

O disco de estréia, “The Winding Sheet”, foi um sucesso de crítica e público, mostrando o feeling que o diferenciava de sua banda quando o assunto era carreira solo. Entre outros, participaram das gravações dois músicos desconhecidos, Kurt Cobain e Krist Novoselic…

Mas é o segundo disco de Mark Lanegan que o consagraria como artista solo. Lançado em 1994, “Whiskey for the Holy Ghost”, foi um grande sucesso de crítica, de público e de vendas, surpreendendo inclusive a SubPop, que por ser uma gravadora independente, não esperava o tamanho do sucesso que o disco alcançaria.

O disco traz uma atmosfera de um disco de blues, pela sua melancolia e pelo jeito único de cantar de Mark Lanegan.  Destaco aqui as músicas House A Home e El Sol, ambas belíssimas.

O Screaming Trees acabaria em 1999, mas durante a década de ‘90, Mark já acumularia participações em diversos projetos paralelos, entre eles a banda Mad Season (que quase chegou a gravar com Mark no vocal, não fosse a morte do baixista da banda, enterrando definitivamente o projeto), e o mais que inusitado Tuatara (banda experimental de jazz/rock, que contava com o guitarrista Peter Buck (do R.E.M.) e o baterista Barrett Martin (do Screaming Trees e do Mad Season).

Em 2001, participa como vocalista convidado na turnê do Queens of the Stone Age. No mesmo ano, Mark participa do novo álbum do QOTSA, tornando-se integrante fixo da banda, que lançou o clássico “Songs For The Deaf” em 2002.

Em 2005, o músico junta-se a Isobel Campbell (ex-Belle & Sebastian) para um projeto um tanto que curioso, que em 2006 lança o álbum “Ballad of the Broken Seas”, que (por incrível que pareça) foi muito elogiado pela imprensa especializada.

Ainda em 2005, o músico se junta a Greg Dulli (The Afghan Whigs) e forma o The Gutter Twins, que lançaria seu disco de estréia em 2008, chamado “Saturnalia”. Ainda em 2008, sai o segundo o disco da parceria com Isobel Campbell, “Sunday at Devil Dirt”, repetindo o sucesso do disco anterior.

Ele também já participou de diversos álbuns de bandas como PJ Harvey, Mondo Generator, Masters Of Reality, Melissa Auf der Maur, e outros.

Mark Lanegan sempre se diferenciou de seus contemporâneos Grunges, com uma voz inigualável, moldada a uísque e cigarros, coisas que só o rock and roll sabe como fazer…

Deixo com vocês o clipe da música “House a Home”, do disco “Whiskey for the Holy Ghost”.

21
jul
09

Tops

Buenas, buenas!

Como todos os leitores desse inconstante blog já devem saber, Julho é o mês do Rock, e dia 13 foi o Dia Internacional do Rock.

E como vocês já devem ter percebido, não fizemos nenhum tipo de homenagem à causa roqueira, que tanto defendemos a punhos de aço. Na verdade, encomendei um texto ao Fábio, mas ele não terminou por falta de tempo. Não duvido dele, mas também não boto muito fé.

Mas enquanto a encomenda não fica pronta, resolvi fazer essa singela, mas de coração homenagem ao nosso tão admirado roquenrrou.

É algo simples. Pedi para cada um da banda me passar uma lista com 10 músicas (rock, obviamente), pode ser suas 10 músicas preferidas, se isso for possível, ou apenas 10 músicas que eles indicariam aos ouvintes, seguido – ou não – de alguma explicação. Coisa simples, fácil e sem segredos.

Então vamos lá. E já que estou por aqui, comecemos pelas minhas:

Top 10 do Rafael

Antes de começar, vou apenas frisar que essa lista são de músicas que eu gosto e indico, mas não são necessariamente minhas preferidas, e não obedecem a qualquer ordem lógica.

1 – Jeremy – Pearl Jam (http://www.youtube.com/watch?v=bMRTOZExfJA)
Pra mim, a melhor deles até hoje. Indispensável em qualquer coletânea de qualquer gênero musical.

2 – Perfect Strangers – Deep Purple (http://www.youtube.com/watch?v=BYc4uRo9maQ)
Depois de alguns anos, a melhor formação da banda se reúne pra gravar um álbum fabuloso, com uma música perfeita. É isso.

3 – Estranged – Guns N’ Roses (http://www.youtube.com/watch?v=2GYimQSAIKM)
Você já ouviu essa música? É do Use Your Illusion II. Então vá ouvir. E depois de ouvir a música, veja o clipe, você não vai se importar nem um pouco de ouvir a música de novo.

4 – Everlong – Foo Fighters (http://www.youtube.com/watch?v=4H0BMfqFP9c)
O 2º disco foi o que firmou a banda de Dave Grohl como uma “banda grande”. Acho que essa é a música mais completa do disco. Procurem suas versões acústicas também, são todas muito boas!

5 – Aeroplane – Red Hot Chili Peppers (http://www.youtube.com/watch?v=khfv_5Dyb1k)
Tá, sei que é heresia da minha parte colocar uma música do Chili Peppers bem de um disco sem o John Frusciante. Mas já ouviram essa música? Ouçam de novo, prestando atenção nos detalhes. Nas duas guitarras do verso. Ela é fantástica! Puta que pariu!

6 – Simple Man – Lynyrd Skynyrd (http://www.youtube.com/watch?v=sHQ_aTjXObs)
Alguém sabia que eu gosto de Lynyrd Skynyrd? Pois é, eu gosto. Essa é uma das baladas country-rock mais legais que eu já ouvi. Não consigo cansar dessa música.

7 – Love, Reign Over Me – The Who (http://www.youtube.com/watch?v=bKBATzh9q1g&feature=related)
Uma das megaproduções megalomaníacas do Who. Essa música é linda. Simplesmente bela. Pesada, agressiva, mas suave ao mesmo tempo. Não dá pra explicar muito bem. Aliás, todo o disco Quadrophenia é baseado nessa música, que encerra o álbum. Ouçam também a versão do Pearl Jam pra música, que é trilha do filme “Reine sobre mim”, com o Adam Sandler. Espetacular! A voz do Eddie Vedder dá até arrepio nessa música!

8 – A Day In The Life – The Beatles (http://www.youtube.com/watch?v=AiFYOn1AFms)
Não podia deixar de fora a música que conta a história da morte do Paul McCartney. O Paul McCartney morreu, vocês sabiam? No acidente que falam na canção. Essa música é meio sinistra…

9 – Leve Desespero – Capital Inicial (http://www.yehplay.com/musics/Capital-Inicial-Leve-Desespero-1985/71896/)
Cara, fico realmente chateado ao ver o que o Capital era na década de 80 e o que os anos 2000 fizeram com eles. Se ainda tivesse sido uma evolução, vá lá, também não quero que uma banda seja a mesma sempre. Mas não. Enfim, essa música é uma das melhores do antigo Capital.

10 – “Nada” – Mercúrio Cromo (http://www.youtube.com/watch?v=K9IDU48CzuU)
Momento “perdi o controle do meu ego”. Uma letra muito legal, um riff muito legal feito por mim mesmo! Ela até foi selecionada prum festival no meio de um monte de MPB! O que mais que eu quero?

————

Top 10 do Fábio

“Bom galera, falar de rock e de minhas músicas favoritas é quase um pleonasmo, visto que muitas das minhas músicas favoritas se encaixam nesse gênero chamado róqui (se bem que.. o que é rock? Eis uma pergunta que dá muito papo e caixas de cerveja…). Então, atendendo ao pedido do Rafael, segue meu Top 10 de musicas/rock que eu mais gosto. Mas devo deixar claro que esta lista não tem nem pé nem cabeça, visto que tanto a ordem quanto a presença destas músicas nessa lista têm a ver apenas com o dia de hoje, podendo facilmente mudar amanhã ou depois… (“prefiro ser uma metarmofose ambulante, do que ter aquela opinião formada sobre tudo”, manja?). Segue, além da lista, uma explicação, sem muito sentido também, dos porquês das escolhas.

1 – Dreams – Van Halen (http://www.youtube.com/watch?v=sZLKtjATZt0)
Uma introdução violão+teclado linda. Uma letra legal. Uma melodia do caralho. Eddie detonando em capacidade e bom gosto no violão, na guitarra e nos teclados. E o Sammy Hagar mostrando porque é melhor que o David Lee Roth. (para este último item, caso você ainda tenha dúvidas, confira, no mesmo álbum 5150, a Why Can’t this be love)

2 – Faroeste Caboclo – Legião Urbana (http://www.youtube.com/watch?v=LBREkLb31Zc)
Essa música não é lá muito rock (cadê as guitarras porra?!) mas a melodia e a letra são fodas demais. É rock com violão, e pop com 9 minutos. E um riffizinho muito… ham… útil… e um final, esse sim, bem rock!

3 – Fall To Pieces – Velvet Revolver (http://www.youtube.com/watch?v=pwQg2smopwg)
Essa só está aqui pra mostrar para mim mesmo que eu não gosto só de música velha. Um riff feito pelo Slash que, puta que pariu, dá vontade de ouvir muitas vezes. E também uma interpretação muito inspirada do drogado-problemático-corinthiano Scott Separabandas Weiland.

4 – Highway Star – Deep Purple (http://www.youtube.com/watch?v=4Y5-kiwNp0I)
É claro que teria uma do Purple (até porque, como você verá, não tem nenhuma do Sabbath nem do Led, o que para muitos será um absurdo… rsrs). Essa musica é foda. Um vocal  impressionante (gritemos aquele agudo do começo, com o Gillan, bora?! Rsrs), e 2 solos (um do Lord nos teclados, e outro do Blackmore na guitarra) que dão raiva de tão legais e de tão simples-mas-complicados. Até a letra besta fica legal nessa canção…

5 – Losing My Religion – R.E.M. (http://www.youtube.com/watch?v=eB3VTX0pxoE)
Losing my Religion é uma música que não tem como você não gostar. Por isso está aqui.

6 – Heat Of The Moment – Asia (http://www.youtube.com/watch?v=wlTvWvfEMxE)
O Asia, pra quem não sabe, é um tipo de banda que a galera chama de supergrupo (junção de vários caras de bandas fodas). Ou seja, um Velvet Revolver da década de 80. Mas, nesse caso, o que ocorreu foi a junção de caras do progressivo (Yes e Emerson, Lake & Palmer e King Crimson), e, para o ódio de todos, gerou uma banda de Rock tipo … ham… pop (ou como os estadunidenses definem esse tipo de banda: AOR – Album-oriented rock, mas que engloba coisas tão díspares quanto Boston, Queen ou Doors). Mas é um pop muito bom. Essa música tem um refrão que é foda! Um prog-pop-rock-suck-me.

7 – Closer To The Heart – Rush (http://www.youtube.com/watch?v=DDRPtg0kmJU)
Eu adoro Rush porque os caras são foda: tocam muito (e não falo só do Neil Peart) e escrevem letras loucas. É um progressivo que flerta com coisas pop e com coisas pscicodélicas, e com …ah sei lá. Mas essa música está aqui porque alem de ter uma melodia linda, tem uma letra que eu gostaria de ter escrito.
Ps: para mais do puro AOR, confira as antigas propgandas dos cigarros Hollywood… rsrs

8 – Winds Of Change – Scorpions (http://www.youtube.com/watch?v=R2Eyao-2KWo)
A letra e a musica são fodas. Fora o período histórico que foi lançada (fim da Guerra Fria) dão um sentido ainda maior à canção. Tudo é legal nela: assovio no começo, riffizinho, refrão, solo. Alemães félas…
Aliás, sobre a letra, ela é tipo um guia turístico da Rússia com um grito de liberdade que o momento prometia e, por ela, o Scorpions foi recebido solenemente no Kremlin, homenageado e talz.

9 – Mestre Jonas – Sá, Rodrix & Guarabyra (http://www.youtube.com/watch?v=e-x86iiozsc)
O rock rural, como todos dizem. Mas aqui o esquema é meio pscicodélico. Uma letra muito louca (de um personagem absurdo da bíblia, que mora numa baleia) e uns teclados tão loucos quanto. Adoro essa música.. rsrs

10 – Super-Heróis – Raul Seixas (http://www.youtube.com/watch?v=Tpb2WWEiUtQ)
Na verdade, só coloquei essa musica do Raul porque ela é bem “rock”, com influência acentuada de blues (com uma entrada com guitarra e piano muito louca), mas poderia ter colocado qualquer outra, afinal acho que não tenho uma musica apenas que considere “favorita” do cara. A letra é engraçada, tirando um sarro do “mainstream” cotidiano brasileiro da década de 70. Zoa-se com Silvio Santos, com o Pelé, com o Emérson Fittipaldi e com a idiotice (que persiste ainda hoje) da população brasileira. Fora o refrão brega que cai como uma luva na representação do bom-gosto nacional.

Bem, vou terminando por aqui, senão vou acabar mudando a maioria das músicas… várias vezes.. e não vou entregar essa lista nunca…

Hasta”

————

Top 10 do Fernando

1 – Roadhouse Blues – The Doors (http://www.youtube.com/watch?v=TFl5bO-9u_w)
Deixa as garotas loucas. he … roll baby roll, all night long

2 – Que Pais É Esse? – Legião Urbana (http://www.youtube.com/watch?v=wUVqIZ3b4k4&feature=related)
Por incrível que pareça! Joga na cara de todos o absurdo em que vivemos e o povo ainda responde “é a porra do Brasil”

3 – Hotel California – Eagles (http://www.youtube.com/watch?v=3afiWbRGjK8)
Uma das melhores histórias de terror que já vi, num som muito louco.

4 – Love Ain’t No Stranger – Whitesnake (http://www.youtube.com/watch?v=l_qkB07VSwU)
Acho ela musicalmente completa.

5 – Enter Sadman – Metallica (http://www.youtube.com/watch?v=BKbADm8omn0)
Pegada forte muito loka!

6 – Bohemian Rhapsody – Queen (http://www.youtube.com/watch?v=irp8CNj9qBI)
Diversidade musical incopiável.

7 – Wasting Love – Iron Maiden (http://www.youtube.com/watch?v=jgLPF3t9TUs)

8 – Rebirth – Angra (http://www.youtube.com/watch?v=W0oXaB4RIUo)

9 – Carta Aos Missionários Uns E Outros (http://www.youtube.com/watch?v=Wk4ZnydsouI)

10 – Love Of My Life – Queen (http://www.youtube.com/watch?v=QtqADo-D3mQ)

————

Top 10 do Kauê

1 – Judas Priest – Beyonde The Realms Of Death (http://www.youtube.com/watch?v=_E9x5A9qov4)
2 – Led Zeppelin – No Quarter (http://www.youtube.com/watch?v=RKOngTfTMs0)
3 – Ted Nugent – Cat Scratch Fever (http://www.youtube.com/watch?v=5AGzgTxPFlY)
4 – Yes – Roundabout (http://www.youtube.com/watch?v=Xql99I1VSdI)
5 – Deep Purple – Knockin’ At Your Backdoor (http://www.youtube.com/watch?v=IIZpF111Ojw)
6 – Raul Seixas – Medo Da Chuva (http://www.youtube.com/watch?v=SeU5Uv-T9ws)
7 – Accept – Balls To The Walls (http://www.youtube.com/watch?v=ph8kGPXOoUw)
8 – Oingo Boingo – Just Another Day (http://www.youtube.com/watch?v=_b6opMEu-zM)
9 – Rolling Stones –  Anybody Seen My Baby (http://www.youtube.com/watch?v=ElOXKt0v7-A)
10 – Stone Temple Pilots – Kitchenware & Candybars (http://www.youtube.com/watch?v=oI89F6lwuos)

————

Top 10 do Kairo

1 – No More Tears – Ozzy Osbourne (http://www.youtube.com/watch?v=HdAXPWvy4E8)
2 – Sea Of Sorrow – Alice In Chains (http://www.youtube.com/watch?v=zRxqG4Td-9g)
3 – Welcome To The Jungle – Guns N’ Roses (http://www.youtube.com/watch?v=IYRC4H64EFk)
4 – Wasted Years – Iron Maiden (http://www.youtube.com/watch?v=cOVzXYEU3Bk)
5 – Since I’ve Been Loving You – Led Zeppelin (http://www.youtube.com/watch?v=wEiyGgWt6no)
6 – Casa De Rock – Casa Das Máquinas (http://www.youtube.com/watch?v=pfXeRkkBXlc)
7 – Andar Na Pedra – Raimundos (http://www.youtube.com/watch?v=BptoB4nQpjk)
8 – Exagerado – Cazuza (http://www.youtube.com/watch?v=u-xItSZrxIs)
9 – Metal Contras As Nuvens – Legião Urbana (http://www.yehplay.com/musics/Legiao-Urbana-Metal-Contra-As-Nuvens/56483/)

————

Ok, o Kairo não se dá muito bem com números e esqueceu de uma, mas depois ele me passa e eu coloco aqui.

Então é isso, agora é com vocês, critiquem-nos!

Inté!

Atualização!!!
A 10ª música do Kairo é High Hopes, do Pink Floyd (http://www.youtube.com/watch?v=VZSjCZUSgJw).

Atualização2!!!
Agora todas as músicas estão seguidas do link de seu devido vídeo/áudio. Nem tinha pensado nisso! A sugestão foi do Tomás (@tomaslombardi). Valeu!

06
jun
09

Quando o Power Pop entra em cena…

por Raul

Eu poderia citar inúmeras bandas de Power Pop que surgiram nos anos 1970, mas com certeza a banda que representa melhor o gênero é o Big Star.

Imagine guitarras glam-rock aliadas à melodias inspiradas em The Beatles, The Byrds, The Who, e The Beach Boys??

O primeiro disco da banda, #1 Record, foi lançado em 1972, mas devido a problemas de distribuição da gravadora Ardent Records,  as vendagens foram muito baixas.

No final da década de 1970, diversos críticos musicais começaram a incluir os álbuns do Big Star entre os melhores trabalhos da década. Bandas alternativas que surgiram nos anos 1980 (como R.E.M e Teenage Fanclub) citavam o Big Star como sua principal influência.

Hoje o primeiro disco da banda é considerado um clássico absoluto do rock and roll.

090606_big_star_-1_record
A nova formação da banda voltou a gravar no começo de 2004, mas aí já outra história…

Deixo aqui a dica de um vídeo recente da banda, tocando ao vivo o maior clássico da banda, com dois integrantes originais Alex Chilton (vocal)  e Jody Stephens  (bateria).




agosto 2017
D S T Q Q S S
« mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Páginas

Mercurio Cromo no Twitter