Archive for the 'Capoba' Category

18
fev
09

Adiós futbol

por Capoba

Companheiros blogueiros, venho por meio deste instrumento de comunicação em massa manifestar minha completa indignação com o esporte mais popular do mundo. O futebol tornou-se apenas mais um instrumento da enfadonha globalização, e consequentemente está paulatinamente perdendo a alma, perdendo o brilho, perdendo o encanto.

No alto de meus 23 anos + 1, tive a oportunidade de, durante minha curta infância, acompanhar o final da fase romântica do esporte bretão, quando ainda existia o dito “amor a camisa” e o espetaculismo de shows, imagens, máscaras e malabarismos circenses começava a dar o ar da graça pelo Velho Continente e aos poucos ir arrancando nossos jovens craques dos escretes tupiniquins. Acompanhei nas quentes madrugadas de verão meu grande tricolor ser bi-campeão mundial em cima de Barcelona e Milan de Stoichkov e Baresi, com craques de primeiríssima grandeza como Raí e Miller que davam sangue, suor e lágrimas pela camisa que vestiam e pelos torcedores que aqui pernoitavam junto da televisão em busca de um alento esportivo para suas sofridas vidas. Outros torcedores podem se lembrar de gloriosos times seus que fizeram história, como o Palmeiras de 93 e 94 que saiu de uma fila de 17 anos em cima de um aguerrido e encardido Corinthians na base dos fluídos corporais já citados anteriormente.

Hoje aqueles que poderiam se tornar nossos grandes “ídolos”, estão espalhados pela Europa, Japão, o tal do mundo árabe, Polinésia, Tunísia, Guam e seja lá qual for o lugar que ofereça mais tostões pelo seu futebol. O jogador tornou-se um objeto a ser negociado e o torcedor se transformou na mais perfeita massa e manobra, diante do mínimo vislumbre de poder contar com um desses medalhões, já vendem a alma aos dirigentes mequetrefes e safardanas que transformaram o futebol em seu mais fácil ganha-pão.

Ainda sobre minha infância, é possível lembrar das segundas-feiras, eram divertidíssimas pois era chegar na escola e aloprar algum companheiro torcedor adversário ou receber uma verdadeira alopração em troca, hoje em dia, o tão apregoado profissionalismo elitiza aos poucos o esporte e o torna maçante, somado a isso, a incompetência e a marginalidade da maioria dos dirigentes mostrou sua cara de vez, descobriu-se o meio podre e sujo que é o futebol, as torcidas não sabem mais torcer, não querem mais torcer e nem deixar que outras pessoas torçam, com isso, as pessoas se desiludiram, ficaram mais céticas, mais frias quanto a esse meio!!!

Definitivamente, o futebol divertido está acabando, nos resta admirar a bela organização dos campeonatos europeus, os maravilhosos craques, enfim, tudo deles… pois o nosso já foi e dificilmente será de novo, é triste, porém um desabafo que queria fazer!!

Ah sim, e amigos, na boa, sugiro que não se proponham nem a pensar em ir à um estádio, muito menos usar a camisa de seu time, a menos que tenha um bom seguro de vida, coisa que eu não tenho, prefiro uma cerveja na Augusta…

Anúncios
15
fev
09

Sexo na música…

por Capoba

Olá amigos leitores e apreciadores de tudo aquilo que não é convencional, já que me incumbiram de escrever sobre qualquer assunto resolvi me antecipar aos colegas e escrever sobre tão intrigante, instigante e extenso tema.

O sexo e consequentemente a busca pelo mesmo faz parte do conjunto de nossos instintos mais primitivos e mais polêmicos. Tal premissa se associada com toda nossa vivência pessoal nos faz (e me faz) acreditar piamente que todos nós, em um grau maior ou menor, gostamos de uma boa putaria.

No decorrer da história da música vários artistas se utilizaram de suas canções para extravasarem seus fetiches, taras e outros termos pornográficos que o baixista da Mercúrio Cromo deve estar bem familiarizado. Desde Elvis Presley que com todo seu gingado fazia fãs irem a loucura na platéia e jogarem suas calcinhas completamente encharcadas para ele, até os famigerados funkeiros cariocas com suas criativas e bem boladas (ironia) canções sobre a vulva e o falo. Á esses se juntam os australianos fanfarrões do ACDC e seu “You shook me all night long” livremente traduzida como “você me chupou a noite inteira”, os mexicanos do Molotov, banda mexicana altamente rodada e manjada em toda a América Latina e também nos EUA, só no Brasil que não é conhecido, preferimos a melação sonolenta do Maná (ECA!!!!). E também não podemos nos esquecer dos brasileiríssimos e paulistaníssimos Velhas Virgens com… bem… todo o seu repertório musical!!!

Molotov – Rastamandita

Enfim amigos, a questão que coloco aqui é a seguinte: que tipo de putaria devemos aceitar, se devemos aceitar? O que nos faz aceitar, com bons roqueiros xiitas, que Bonn Scott declame como uma garota passou uma noite inteira cantando em seu microfone pessoal e nos faz tripudiar uma pobre favelada carioca que simplesmente está divulgando para o mundo que a PORRA DA BUCETA É DELA?

Outra coisa amigos, se possível coloquem mais músicos aí que adoram divulgar sua “sexualidade”, quem sabe em um post mais adiante consigamos elencar os 10 maiores putos musicais da história.

Abraços a todos e vida longa à banda com nome de remédio mais legal que eu já conheci.




dezembro 2017
D S T Q Q S S
« mar    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Páginas

Mercurio Cromo no Twitter